Eugene T. Gendlin

WhatsApp Image 2022-06-01 at 22.35.58


Eugene T. Gendlin nasceu em uma família judaica, aos 25 de dezembro de 1926 em Viena e, por causa da perseguição nazista, radicou-se nos Estados Unidos em 1939. Em 1953 Gendlin é admitido no grupo de pesquisas de Carl Rogers sobre psicoterapia, na Universidade de Chicago e permanece até 1964, quando Rogers vai para La Jolla, organizar um centro de pesquisa, formação e prática psicológica denominado Centro de Estudos da Pessoa, o que coloca fim a essa parceria. Em Chicago, 1958, doutora-se em filosofia, cujo tema da tese é “A função de experienciação e simbolização”. Em 1962 publica sua principal obra: Experiencing and the Creation of Meaning – Experenciando e criando significado. Em 1963 funda o jornal da Divisão de Psicoterapia da Associação Americana de Psicologia, denominado “psicoterapia: teoria, pesquisa e prática” e permanece editor até 1976. Foi professor de Filosofia e Psicologia na Universidade de Chicago de 1968 a 1995. Escreveu seu primeiro artigo sobre focusing em 1969. Em 1985 fundou o The Focusing Institute, que em 2016 passou a se chamar The International Focusing Institute, do qual se manteve à frente até 2014. Ganhador de vários prêmios e homenagens pelo reconhecimento de seu trabalho no desenvolvimento da psicoterapia. Sua morte se deu aos 90 anos, no dia 1° de maio de 2017 em Spring Valley, Nova Iorque.
Doutor em Filosofia e psicoterapeuta austro-americano, Eugene Gendlin foi parceiro e colaborador de Carl Rogers por 12 anos. Uma parceria frutífera em estudos e pesquisas em psicoterapia na Abordagem Centrada na Pessoa- ACP. Suas teorias impactaram as próprias crenças de Rogers, influenciando em sua visão sobre a psicoterapia.
Seu trabalho partiu de uma relação terapêutica baseadas nas atitudes preconizadas pela ACP: empatia, aceitação incondicional e congruência, alicerçada em uma forte influência do Existencialismo, para mais adiante tornar-se Psicoterapia Experencial.
Vale destacar alguns pensadores que influenciaram sua maneira de pensar: Wilhelm Dilthey, Husserl, Heidgger, Buber, Sartre, Merleau-Ponty. Destaque para Rogers, quem lhe abriu caminho para o trabalho prático terapêutico.
As ideias de Merleau- Ponty marcaram-no sobremaneira. A relevância dada à corporeidade em seu pensamento é fundamental para entender todo o processo criado por Gendlin, denominado Focusing ou focalização.
Autor de várias publicações, entre elas: Focalização. Uma via de Acesso à Sabedoria Corporal (2. Ed., 1982) – única obra traduzida ao português. Experiencing and the Creation of Meaning (1962); Focusing-Oriented Psychoterapy (1999); Let Your Body Interpret Your Dreams (2006) etc.


Fonte: DIÁLOGOS HUMANISTAS: ENCONTROS DE TRÊS GERAÇÕES
Marcia Tassinari e Andre Nerys (org)
CRV- Curitiba/2019


* Foto extraída da internet