A concepção holística e a psicoterapia

Rodrigo Rezende

A concepção holística do homem é aquela que concebe o ser humano como resultante da integração da mente e do corpo. Esses, que usualmente chamamos e tratamos separadamente, formam, na verdade, uma unidade inseparável. A partir dessa visão, emoções e sentimentos positivos e negativos e tudo mais que vivenciamos na mente ficariam necessariamente registrados no corpo, podendo alterá-lo bioquímica e fisicamente. Assim, o nosso cérebro pode ser formatado fisiologicamente, tanto pela alegria quanto pelos traumas, o que irá afetar, por sua vez, o processamento mental, ou seja, a forma do seu funcionamento. Desse modo, em um ciclo vicioso, a mente e o corpo se afetam mutuamente. Inclusive, é fácil perceber a influência das emoções no corpo físico no cotidiano. Quando ficamos irritados, tensos, assustados ou com medo, é comum percebermos, em seguida, alguns sintomas físicos, como diarréia, dores musculares, cansaço, fraqueza ou dor de cabeça.

Desde muito tempo, estudiosos vêm apontando que a estrutura emocional das pessoas depende fortemente de como foram as relações na primeira infância com os pais, familiares e todas as pessoas de forma significativa. A partir disso, pode-se concluir que o sofrimento emocional e corporal pode estar relacionado com a falta de relações humanas de boa qualidade afetiva que colaborem com o fortalecimento da personalidade sadia. Se ao longo da vida, por qualquer motivo, a pessoa teve predominantemente relações humanas difíceis e pouco fortalecedoras e sentimentos negativos, como raiva, tristeza e medo, isso poderá se acumular e, possivelmente, o corpo irá desenvolver doenças resultantes do enfraquecimento holístico. Esses sentimentos negativos, quando não são expressos, muitas vezes em função de normas sociais, e não são tratados apropriadamente, são represados e a energia retida pode se transformar em qualquer forma de sofrimento emocional e/ou corporal.

Qualquer tipo de sofrimento emocional pode se manifestar de forma física no corpo da pessoa. Por exemplo, o indivíduo que retém e omite tristezas poderá acumular esses sentimentos em alguma forma de energia negativa e seu corpo poderá ser afetado, uma vez que mente e corpo formam uma unidade inseparável. O corpo, no seu formato bioquímico, poderá ser alterado ou moldado por sentimentos negativos e consequentemente portas para doenças corporais poderão se abrir, incluindo as psiquiátricas, como a depressão. A observação clínica costuma indicar que pessoas deprimidas, geralmente, têm um quadro de emoções e sentimentos acumulados, guardados e não trabalhados ou tratados e que, muitas vezes, elas também sofrem cronicamente de uma variada gama de doenças que nem sempre são diagnosticadas de forma clara.

A boa notícia é que um processo reverso ao do adoecimento e, portanto, de recuperação ou até de cura emocional e física no corpo, também é possível. Assim, uma pessoa com depressão e doenças físicas relacionadas, por exemplo, que, através da psicoterapia, trata sua mente, trabalhando as emoções e sentimentos para dar-lhes vazão e significados e ainda buscando sentido para a vida, poderá recuperar a saúde como um todo, pois, conforme a concepção holística, mente e corpo se integram e se acompanham também no caminhar para um quadro mais saudável de vida. Dessa forma, a psicoterapia pode ajudar em muito as pessoas com doenças corporais, pois, na medida em que também tratam a mente e, consequentemente, as emoções, os sentimentos e os comportamentos, estarão tratando a sua pessoa como um todo e aumentando as possibilidades de saúde e felicidade.