Antonio Monteiro dos Santos

Foto cedida por Antonio M. dos Santos



ANTONIO MONTEIRO DOS SANTOS

(Texto de Marcos Alberto da Silva Pinto – MAIO DE 2004)

Antonio Monteiro dos Santos nasceu em Paracatu/MG em 29/05/1952 em uma chácara administrada por seu pai e pertencente aos padres da região. Foi lá que passou boa parte de sua infância, brincando junto a natureza e aos animais em um lugar completamente tranqüilo.

Aos seis anos, mudou-se para a cidade, entrando repentinamente para o mundo das pessoas, dos carros, barulho e agitação. Esta mudança trouxe a ele a escola e o futebol, que se tornou sua grande paixão. Como atacante e melhor jogador da cidade, começou a receber dinheiro para atuar por várias equipes da região. No futebol viveu momentos memoráveis de fluidez, harmonia, intensidade, e beleza com seus companheiros. Nos anos 70 depois de uma frustrada visita ao Cruzeiro de Belo Horizonte, resolveu abandonar o futebol.

Após este período, buscou a universidade de medicina, engenharia elétrica e finalmente psicologia, estudando no CEUB- Centro Universitário de Brasília, onde teve o seu primeiro contato com a Abordagem Centrada na Pessoa e Carl Rogers, através de um professor e sua esposa.  Foi marcado por uma história deste professor que lhe contou que uma vez tinha ido a sua pequena cidade e uma pessoa lhe pediu um atendimento e que ele fez isto se utilizando dos conhecimentos adquiridos apenas através dos livros de Rogers e que havia obtido grande sucesso.

Apesar desta história marcante, iniciou durante a universidade um treinamento dentro da Análise Transacional e depois em Biodança.

Após o término da universidade, foi ao México participar de um congresso de Análise Transacional, resolvendo passar no retorno a São Francisco/EUA  onde conheceu alguns brasileiros, o que colaborou para a sua decisão em tentar ficar por ali para estudar. Neste período foi reprovado na prova de inglês, o que o impediu de entrar na universidade e receber uma bolsa, tendo que trabalhar para se manter nos estudos.

Foi surpreendido pelo contato de uma amiga, que estava em La Jolla em férias. Resolveu ir ao seu encontro em San Diego e acabou conhecendo Maureen O’Hara que trabalhava com Rogers. Por coincidência era aniversário de Rogers, e sendo convidado para a festa, Antonio e sua amiga Tereza fizeram uma apresentação de Biodança e mais tarde um Workshop que contou com a presença do psicólogo norte-americano.

Resolveu então mudar para San Diego e estudar com John Wood, que na época era supervisor de doutorado no International College e teve fundamental importância em seu processo de aprendizagem.

Neste mesmo período, conheceu Maria Constança Villas-Boas Bowen de quem se tornou grande amigo. Maria teve participação intensa em seus estudos e na sua aproximação com Carl Rogers, pois ela era muito amiga e admirada por Rogers.

Começou a conviver com toda a equipe do Centro de Estudos da Pessoa, e guarda grande lembrança de seus aniversários e do sempre delicioso bolo de mel preparado por Maria Bowen para comemorar este dia especial.

Antonio estreitou sua amizade com Rogers e passou muitos momentos ao seu lado conversando a respeito principalmente  de psicoterapia, processo de vida e espiritualidade.

Além do próprio Rogers, de Maria e John Wood, recebeu grande incentivo e ajuda de várias pessoas da ACP daquela época, dentre elas, Maureen O’Hara, Bill Stillwell, Gay Swenson, Nel Kendall, Bruce Meador, Robert Lee, Ernie Meadows, Earl Burrows e Nat Raskin.

Depois destas experiências, retornou ao Brasil e trabalhou por mais de dez anos ministrando treinamento para psicólogos, médicos, professores e outros profissionais da ACP. Criou um treinamento da Abordagem Centrada na Pessoa com três anos de duração em Brasília e Campo Grande. Desenvolveu ainda um trabalho para pessoas que se recuperavam de doenças graves e pessoas em período pré e pós cirúrgicos.

Escreveu os livros “Momentos Mágicos: A natureza do processo energétido humano” e “Quando Fala o Coração: A essência da psicoterapia Centrada na Pessoa” este  em parceria com Carl Rogers e Maria Bowen.

Atualmente teve o seu livro “Momentos Mágicos” reformulado e relançado nos Estados Unidos sob o título “Miracle Moments”. Tem ministrado palestras nos Estados Unidos, onde reside, na América do Sul, na Europa e na África.

Continua escrevendo, meditando e experimentando o silêncio. Já passou seis meses em silêncio e vê nesta experiência algo de grande ajuda para o seu processo de aprendizagem e para o conhecimento da mente humana. Tem estudado profundamente “Um curso em Milagres”, o Bagavda Gita, a vida de Buda e os trabalhos de Ramana Maharshi e Krisnamurti, escrevendo hoje sob estas influências.

Antônio acredita estar no meio de sua existência e deseja que tenha ainda muito por vir. Tem planos de continuar escrevendo, dando palestras e cursos e em experimentar o silêncio ainda por um tempo maior e meditar.